Favoritos do ano

favoritos_32016 foi um ano de mudar hábitos de consumo. Seja lendo e pesquisando sobre armário cápsula, descobrindo mais sobre gostos pessoais, e aprendendo a destinar de uma maneira mais inteligente aquilo que não uso e só acaba acumulando mais espaço na vida e na mente.

Sempre fui uma acumuladora nata. Principalmente com livros. O kindle, de longe, se mostrou a melhor compra do ano – não só tornou minha vida de leitora mais prática, como também me fez repensar o consumo desenfreado de livros impressos.

Resumindo, foi um ano de minimalismo. Menos roupas sem uso no armário, menos livro pegando pó nas prateleiras, menos cosméticos vencendo sem usar. Ainda há muito a aprender e ser melhorado nesse sentido, mas aos poucos caminho para compras mais conscientes – comprando menos e melhor.

favoritos_5

A lista de favoritos do ano segue com as compras que sinto que valeram cada centavo 😉

1 – Básicos:

Sempre tive um estilo muito básico. Roupas confortáveis, com cores neutras, com cortes simples e caimento. A dificuldade foi sempre em achar peças com esses atributos. No fim, estava sempre com uma armário confuso e pouco funcional: um monte de peças que não conversavam entre si, e acabava sempre usando as mesmas roupas repetidamente.

Também pensava mil vezes antes de comprar uma roupa básica com preços mais altos. Partindo do princípio que roupa cara é aquela que a gente usa pouco, abraçar o apelo básico do meu estilo me abriu muitas portas para investir naquilo que realmente vou usar mais e que vai me fazer bem, sem me impedir também de experimentar coisas novas.

favoritos_2

2 – Rosé:

Representante do All Black Everything, surpreendemente esse foi o ano de comprar coisas rosé. Eu nunca, nunquinha, tinha me apaixonado por um perfume como pelo 212 Vip Rosé, de Carolina Herrera. O melhor cheirinho de todos ♥

Cansada das minhas experiências com android, resolvi me presentear com o Iphone. Essa cor ganhou meu coração e até o momento não tenho reclamações.

favoritos_7

3 – Leituras:

Graças ao kindle, muitas lacunas literárias foram preenchidas em 2016. Faltam poucas páginas para fechar a meta do skoob, e muitos títulos foram marcantes.

Como fã número 1 da J. K Rowling, nem é preciso falar quão emocionante foi ler os e-books  Proezas, Percalços e Passatempos Perigosos; Poder, Política e Poltergeists Petulantes e Hogwarts: Um Guia Imperfeito e Impreciso.

As pessoas parecem flores finalmente, do Bukowski, um dos meu autores favoritos, ganhei da Amazon na Black Friday e, como esperado, se mostrou uma leitura incrível, como a poesia do Buk sempre é.

Vergonhosamente, nunca havia lido Jane Austen. Essa edição maravilhosa da Martin Claret me fez tomar coragem para iniciar a leitura. Desse volume, li Orgulho e Preconceito. Me apaixonei perdidamente, e pretendo ler mais dela em 2017.

Já citei em outro post que Sob a Redoma, do Stephen King foi a melhor leitura do ano, e ganhou o posto de melhor livro do autor. De Chuck Palahniuk, Sobrevivente empatou com Clube da Luta, no pódio de leituras sensacionais. Ainda em processo de leitura, História das terras e lugares lendários, do Umberto Eco é uma obra de arte. Estava namorando ele há anos, e finalmente tomei coragem, porque o exemplar é meio salgadinho. Mas vale a pena porque a edição é simplesmente linda, super ilustrada e o conteúdo levantado pelo autor nunca decepciona.

favoritos_9

Pamela Caitano
22 anos. Jornalista e curiosíssima por histórias. Encontrou nas palavras amor, a profissão, e refúgio.

Comments

comments

Você pode gostar de

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *