(Resenha) A procura de vida inteligente, de Victor Allenspach

Não é a toa que Victor Allenspach se refere a Douglas Adams como uma de suas grandes inspirações para a criação desta obra. Assim como em “O guia do mochileiro das galáxias” de Adams, essa é uma história de ficção científica sobre a vida, o universo e tudo mais. Com exceção do Planeta Terra, que nem sequer chega a ser citado no livro como o conhecemos hoje, sendo facilmente compreendido como um planeta qualquer do espaço. O que torna tudo ainda mais interessante.

Embora possa demorar alguns capítulos para que o leitor perceba, o personagem central se chama Boris, um androide de mais de 500 anos programado para servir, embora ele sinta, pense e fale. Isso mesmo. Na história de Victor, é comum robôs agirem como humanos e isso causa estranheza tanto em alguns personagens, quanto no próprio leitor.  E chega a ser algo tão usual, que em determinado momento, se torna um tanto que difícil saber qual personagem é humano e qual não é, tamanha semelhanças de comportamento.

Livro A procura de vida inteligente - resenha

O interessante é que Boris é apresentado a quem lê a história, de diversas maneiras, em inúmeras situações e em lugares distintos. Inclusive em tempo histórico. E desta forma, ora lemos em primeira pessoa, ora em terceira pessoa. Enquanto isso, outros personagens aparecem e nos tomam a atenção.

Intrinsecamente, o livro usa a tecnologia e uma realidade alternativa para discutir verdadeiras questões existencialistas e relações, ou a falta delas, num futuro talvez nem tão distante assim. Robôs, inteligência artificial, naves espaciais e viagens intergalácticas estão presentes em todos os capítulos. Mas não entre em pânico! Até mesmo o leitor mais leigo no gênero – como eu, por exemplo -, consegue assimilar a história, e até aprender um pouco dessa imensidão complexa de cálculos e teorias de ficção científica.

Livro - A procura de vida inteligente - resenha

Dividida em contos, a escrita de Victor é ritmada com pausas estratégicas. A sátira e as metáforas se fazem presentes na maioria de suas construções verbais e o livro transforma esses fragmentos em um conjunto maior, com um só sentido, embora seja apresentado em contextos diferentes, o que deixa o leitor a vontade para apreciar a história de inúmeras nuances.

“A procura de vida inteligente” nos mostra uma sociedade futurista, vivendo de forma indescritivelmente diferente e, mesmo com um cenário tão complexo, até mesmo em nosso imaginário, o autor consegue nos mostrar que nos detalhes, o humano ainda preserva sua cartela de sentimentos, dúvidas e angústias existencialistas.

“Marcos pensa por alguns instantes nessa curiosa forma que o universo tem de isolar mundos, igual aos próprios humanos e suas paredes”.  A procura de vida inteligente pg.114.

Este livro foi uma cortesia do autor Victor Allenspach, parceiro do blog, mas você pode conhecer mais sobre a publicação e adquirir o seu exemplar no site do autor 😉 

Ficha Técnica:

ISBN-13: 9788592026103
ISBN-10: 8592026105
Ano: 2015 / Páginas: 196
Idioma: português
Editora: do autor

Avaliação no Skoob: 4

Ana Paula Padilha
26 anos. Jornalista, encantada por palavras – ditas ou escritas. Um filme antigo ou um livro atual são essenciais. Disseram que a vida não é um mar de rosas, ainda bem, hortênsias são mais bonitas.

Comments

comments

Você pode gostar de

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *